A área descoberta da Thermae ou Balnea é, até ao momento, de 250m2, presumindo-se que este complexo balnear esteja orientado no sentido Norte/Sul.
Foram já pesquisados os seguintes compartimentos das instalações termais:

Laconicum - É assim denominada uma sala circular de nove metros de diâmetro e quatro absidae, destinada a banhos quentes e de vapor. Sala com a mais alta temperatura, cuja planta obedece aos cânones vitruvianos. No centro da sala encontra-se um grande tanque circular com três degraus, embutido no solo, com cinco metros de diâmetro, rodeado do sistema de aquecimento - hipocaustum. A atribuição cronológica desta construção situa-se entre I - II séc. d.C., e sua utilização estender-se-ia até ao V séc. d.C..

Praefurnium - Trata-se de um espaço escavado parcialmente (por enquanto não acessível ao público) com estruturas relacionadas com um compartimento subsidiário - a fornalha. Dada a limitação da área escavada, por enquanto não está claro se se trata do praefurnium da sala adjacente ou se era um sistema central que servia várias salas aquecidas - laconicum, caldarium e tepidarium.

Natatio: Trata-se de uma piscina ao ar livre, certamente porticada. Estes espaços são normalmente rectangulares e encontram-se perto do frigidarium e/ou da palaestra. A sua largura é de 14.40m e calculamos ser o seu comprimento de 43.20m. Parece-nos que do lado Este da piscina se lançavam as águas do complexo termal, águas que eram certamente trazidas por um aqueduto construído com esse fim.

volintror.jpg (8411 bytes)

| Voltar | Évora Romana | Évora Megalítica | Évora Medieval | Galeria | Link's |


galeriar.gif (14629 bytes)