Trata-se de um exemplar de arquitectura romana religiosa, de planta rectangular (25 x 5m) do tipo hexástilo1 - períptero2.
A plataforma do podium tem quatro metros de altura, sendo o seu perímetro formado por silhares nos cantos, no perfil da base e moldura; o restante é o opus caementicium. Sobre ela levanta-se a colunata de fustes greco-romanos, rematados por capitéis de estilo coríntio, sobre os quais ainda se conserva parte da arquitrave e do friso. O material empregue é o granito local, excepto nos capitéis e nas bases, que são de mármore de Estremoz. Sabemos hoje, graças às investigações arqueológicas promovidas nas últimas décadas, que a sua atribuição cronológica se situa na primeira metade do século I d.C. e que era dedicado ao culto do imperador e não à tão conhecida deusa da caça, Diana.
O monumento religioso fazia parte duma grande praça - o forum, centro da cidade romana - envolvida por um pórtico. Nesta praça o elemento água deverá ter tido grande importância, dada a presença de um tanque/espelho de água que envolvia o pódio do templo, redescoberto já em meados do século XIX.
O seu bom estado de conservação deve-se à reutilização ao longo dos últimos dois milénios como torre militar e açougue municipal, entre outras funções. O seu aspecto actual data de há cerca  de 130 anos, quando as autoridades locais, sob a direcção técnica do cenógrafo Cinatti, decidiram libertá-lo de todas as construções não romanas.

 

voltar

| Voltar | Évora Romana | Évora Megalítica | Évora Medieval | Galeria | Link's |

Galeria