Sabia que...
 
Edição de 27 de novembro de 2018
 
   
 

 

… a crise do cereal nos anos 50 do Séc. XIX obrigou à plantação de Vinha em Évora?

Desde o nascimento de Portugal que a vinha, em conjunto com os cereais e a oliveira, cumpre um papel significativo e visível pela ocupação do País, preenchendo um papel indispensável na economia agrária que era no antigo regime a principal atividade produtiva.

O período dos descobrimentos foi determinante para a implantação da vinha devido ao alargamento dos mercados e ao aumento da população.

Havia os vinhos de “grande nomeada”, como os do Douro, do Algarve, os de Peramanca, em Évora, os brancos de Beja, Alcochete, Leiria, Ourém, Cantanhede. A cultura da vinha estava presente em todo o País.

No século XVII, a expansão vinícola torna o país autossuficiente e em alguns casos excedentário mas, é especialmente no século XVIII que surgem grandes modificações na cultura, em muito devido ao aumento da população, ao aumento da oferta de trabalho e ao aumento de remessas de ouro do Brasil, representando, no final do século XVIII, os vinhos portugueses cerca de 70 por cento da importação de vinhos feita a Portugal pela Grã-Bretanha. A cultura da vinha revelava-se tão importante que a Câmara Municipal de Évora cria regulamentação, em 1743, para proteção das vinhas (Imagem 1).

Em meados dos anos 50, do século XIX, inicia-se o incentivo do arroteamento do solo, estimulado pela legislação liberal.

No Alentejo a crise do cereal obriga à plantação de vinha, nomeadamente em Borba, Évora, Vidigueira, Redondo, Reguengos, Alter do Chão e Campo Maior, onde o crescimento atinge os 50 por cento.

Nos anos 70 do século XIX, com o desenvolvimento dos transportes e vias de comunicação Portugal entra na segunda metade do século com uma decidida política de livre-câmbio, em que a Inglaterra era parte interessada. Nesta época as exportações portuguesas monopolizam-se no vinho.

Hoje o Alentejo é uma das maiores regiões vitivinícolas de Portugal, região quente e seca, beneficiou de inúmeros investimentos no setor vitivinícola que se traduziu na produção de alguns dos melhores vinhos portugueses e no reconhecimento internacional dos vinhos alentejanos.

 

BIBLIOGRAFIA

Leitão, João Carlos Farinha. “A Cultura da vinha em Portugal e as consequências da adesão à União Europeia. Caso de estudo: A Região Demarcada do Douro. [s.l.]:[s.e.], [2013].Tese de Mestrado.

 

VOLTAR À PÁGINA INICIAL

 

Saiba tudo sobre o Município de Évora em www.cm-evora.pt

 

 

 


Copyright © 2014-2019 Câmara Municipal de Évora. Todos os direitos reservados